segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Suicídio



A maioria das pessoas realizam dois tipos de suicídio: a longo ou a curto prazo.

O suicídio a curto prazo é letal, rápido e quase indolor, provocado por um desgosto com a vida, é uma carência mental de uma visão maior sobre a Existência.

O suicídio a longo prazo é letal, lento e doloroso; provocado por uma "consciência de massa" que produz uma vida confusa que leva ou ao estresse ou a apatia. Os meios de fuga deste estado quase hipinótico são, na maioria das vezes, o entretenimento "barato", jogos de competição, má alimentação e relações conflituosas - o que agrava a permanência de si e de outros no planeta.

É preciso dar um salto para fora da consciência coletiva do egoísmo. Quando os olhos estão contaminados pelas cores rubras do mundo, você precisa ir fundo no coração e com intensão pura, decidir saber o que você de fato veio fazer aqui.

Todas as visões são tendenciosas e o caminho para o não julgamento é parar por um instante e refletir sobre nossa própria ignorância, constatar nossa própria arrogância e verificar a fantasia em que vivemos; isto tudo, não para se depreciar, mas para criar em si um desejo novo e ardente de conhecimento verdadeiro - desejo este que pode trazer luz para si e aos outros.

As pessoas geralmente não morrem, elas se suicidam. Por isso, é fundamental que criemos em nós mesmos o desejo de saber. Os desejos dos que se suicidam é conquistar e obter. Os desejos de quem aprecia a vida e deseja viver é saber e compartilhar.

Apenas vire-se para a Luz.
~~*~~*~~*~~
original Ode ao Amor



Dizy Ayala

Blogueira, Revisora, Escritora, Vegana.
Formanda em Publicidade e Propaganda -  
Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos
Páginas no facebook
Uma Escolha pela Vida
Ação pelos Direitos dos Animais  
dizyayala@gmail.com



sexta-feira, 11 de agosto de 2017

CULTURA DO SUFICIENTE


CULTURA DO SUFICIENTE
A economia global segundo o modelo de cooperação indígena

A maneira como vemos o mundo determina nossa maneira de agir em relação a ele. Na visão da atualidade, com a prevalência de uma cultura global baseada em uma filosofia tradicional ocidental,temos um modelo de economia que está a criar abismos sociais, guerras, escassez e degradação ambiental, com o esgotamento de recursos naturais e crises energéticas.

A partir de matéria publicada pelo site nova consciência, com base no modelo cooperativo familiar, são feitas considerações importantes para refletir sobre o atual modelo econômico, com base na filosofia ocidental, e os princípios da filosofia indígena para uma economia sustentável.

Uma das referências do modelo atual vem do filósofo ocidental Hobbes que descrevia os seres humanos envolvidos em uma guerra uns com os outros por recursos. Uma visão que determina as vidas humanas como solitárias, pobres, desagradáveis, brutais e breves, tendo em vista a ênfase na competição e conflito. E essa percepção do indivíduo, trabalhando sozinho, em competição com os outros, predomina hoje na tradição filosófica ocidental. 

Exemplos disso, nos dias de hoje, são a crise humanitária de refugiados vindos de países de origem árabe como a Síria,em guerra por recursos como o petróleo, bem como países de origem africana, assolados pela pobreza, em grande parte pela atividade de corporações extrativistas que exploram recursos naturais desses países, com manejo de mão-de-obra pouco ou não remuneradas.

Na filosofia indígena, todos os indivíduos estão relacionados como parte de uma comunidade baseada em laços familiares e como parte da natureza em equilíbrio com o todo. As sociedades indígenas enxergam a prosperidade na natureza, preservando seus recursos, compartilhando e cooperando na gestão ambiental.

Na filosofia ocidental, em sua maioria, a sociedade é vista como um agregado de indivíduos cada qual com os seus interesses pessoais em uma competição entre si por recursos limitados, o que gera o sentimento de medo, insegurança e uma escassez de espírito.

De acordo com essa visão, tudo na Terra é classificado: minerais, plantas, animais e tudo é baseado na hierarquia, segundo uma visão antropocêntrica, com os humanos no topo dominando tudo que julgam lhes estar abaixo.

Na maneira que os índios veem o mundo, os seres humanos são uma parte igual num todo vibrante e interligado.


Duas visões do mundo, dois sistemas econômicos muito diferentes.

A economia global atual é impulsionada pela predisposição à escassez de recursos, pela produção intensiva centralizada e por indivíduos com apetite acumulador insaciável.

    1. Para se ter uma ideia, a riqueza combinada dos três indivíduos mais ricos do mundo excede o PIB dos 47 países mais pobres. O mundo tem apenas 497 multibilionários enquanto metade da população sobrevive com menos de dois dólares por dia. 40% dos recursos terrestres são possuídos por apenas 1% da população.

   2. A economia indígena vê o mundo como interdependente, tem produção descentralizada e promove uma gestão de recursos responsável, com abundância, com laços familiares, com a crença de que existe o suficiente para todos, encorajando a partilha e a cooperação, de forma justa e equitativa. Todos esses pré-requisitos para a sustentabilidade, onde a saúde da economia é medida pela saúde do todo.

   3. Para o modelo ocidental, a saúde da economia de mercado é medida pelo Produto Interno Bruto (PIB). Quanto mais produzimos e consumimos, melhor está a economia. Para tanto, há um grande investimento na construção de edifícios, na manufatura, na produção de veículos que são considerados produção positiva, bem como a fabricação de armas e cigarros. Enquanto isso, investimentos com saúde e educação são considerados custos, produtividade econômica negativa. E o impacto dos custos físicos e emocionais das guerras sobre o PIB ou da poluição que ameaça um terço das espécies animais em todo o mundo são consideradas externalidades irrelevantes e estão fora do sistema. Nem sequer aparecem no balanço comercial. Um sistema insustentável onde a escassez de recursos é uma profecia auto-realizável.

O território dos povos indígenas representa 24% da superfície terrestre e abriga 80% de toda a biodiversidade terrestre. E isso não é uma coincidência.Nas culturas indígenas, equilíbrio e harmonia não são noções românticas, mas fundamentos milenares de produtividade.

O que podemos aprender com a cultura indígena é que:

- A natureza é essencial para a sobrevivência.
- A produção e a proteção estão juntas.
- Sucesso econômico sustentável cria bem estar para todos.

Portanto, há que se promover: “uma sociedade que considere todos os seres humanos como iguais, que funcione como uma FAMÍLIA global, utilizando um modelo econômico COOPERATIVO em substituição ao atual modelo nocivamente COMPETITIVO”.

Podemos contribuir com uma economia sustentável, dando preferência ao consumo de alimentos orgânicos, certificados, de produtores locais, bem como de marcas de empresas comprometidas com a preservação ambiental, que destinam parte do valor das vendas, por exemplo, para ações de reflorestamento, preservação de mata nativa, fauna e flora, com solo e rios preservados e menos poluição.Deste modo, estaríamos nos aproximamos de alguns dos valores da cultura indígena que se preocupava com o meio ambiente.

Em nosso dia a dia podemos fazer pequenas escolhas nas compras de produtos que entram em nosso lar de empresas que têm em si uma contribuição com o todo, como exemplos: Mãe Terra, Native, Jasmine, Olvebra, Yoki, Fhom, Bem Orgânico, Sabor Vital, entre outras.Usar produtos de limpeza biodegradáveis, como a linha Ypê, também é uma eficaz maneira de diminuir o impacto na natureza.

Outra maneira de agir ecologicamente é simplesmente utilizar menos plástico, dando preferência a embalagens de papel e metal reciclável e utilizar mais sacolas retornáveis.

É de suma importância evitar o consumo desenfreado, movido por impulso e sem necessidade. Fazer o descarte atento à reciclagem, inclusive de celulares e toda linha de eletrônicos que têm várias partículas tóxicas em sua composição.

Seja qual for a sua tribo, saiba que não é um programa de índio cuidar da nossa natureza! Isso é agir com responsabilidade sobre nosso futuro e preparar um mundo melhor para as novas gerações... Mãos à obra!


Fonte: www.novacomunidade.org


Dizy Ayala

Blogueira, Revisora, Escritora, Vegana.
Formanda em Publicidade e Propaganda -  
Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos
Páginas no facebook
Uma Escolha pela Vida
Ação pelos Direitos dos Animais  
dizyayala@gmail.com


segunda-feira, 5 de junho de 2017

VERDE QUE TE QUERO VERDE!

VERDE QUE TE QUERO VERDE!
Por Juarez Rodolpho
Quero ver o verde,
deste chão crescer
sentir o orvalho,
respirar... viver!


Quero a flora mais rica,
quero a fauna forte,
que tenhamos notícias de vida,
não apenas notícias de morte.


Tirem a pele dos casacos,
tirem o couro dos sapatos,
o universo já está cansado,
deste nosso luxo exagerado.


Chega de desmatamento,
chega de poluição.
Vamos seguir o regulamento
Coloque ecologia no coração.

Precisamos reciclar
Precisamos mudar o presente
Não seja um humano ausente
Faça diferente...

Para que o verde no futuro
não seja apenas
uma mera lembrança,
um quadro na parede!

Desconheço autoria

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Os gatos e sua conexão mágica com o mundo invisível.



Os gatos e sua conexão mágica com o mundo invisível.


Os gatos têm uma conexão mágica com o mundo invisível. Assim como os cães são nossos guardiões no mundo físico, os gatos são nossos protetores no mundo da energia. Durante o tempo gasto acordado, o gato vai "limpar" a sua casa contra intrusas energias. Quando você dorme, ele filtra e transforma essa energia. O gato muitas vezes pode estar em baixa circulação para ativar essa área Chi, energia vital.

Muitas vezes, o gato olha para o nada a concentrar-se, totalmente seguro... ele vê coisas que não vemos, de insetos microscópicos a seres de outras dimensões. Em certas ocasiões, o seu gato vai para um cômodo isolado e começa a miar, não é só atenção que ele quer, é uma espécie de aviso que ele está dando: a qualidade da energia do lugar precisa melhorar. Os nossos problemas e a tensão diária são absorvidos pelo gato. Quando é demais e o lugar é cheio de energia negativa, não é incomum que o gato adoeça. Quanto mais há harmonia no seu ambiente, menos ele terá de filtrar a energia negativa e, consequentemente, será mais feliz e mais saudável. 

Quando dormimos, nossos corpos astrais são separados do corpo físico e vão para uma quinta dimensão, a dimensão sem tempo ou espaço: a dimensão em que estamos quando sonhamos. Devido à falta de treinamento e preparação, na maioria das vezes não enxergamos essa dimensão, uma vez que é disfarçado e codificado como nossos conteúdos psíquicos inconscientes. Os gatos costumam nos acompanhar e nos proteger nestas viagens astrais ou protegem nosso corpo astral, além de cuidar de nós contra energias de espíritos indesejáveis quando estamos dormindo. Estas são as razões porque eles gostam de dormir com a gente na cama.

Os gatos também monitoram o nosso progresso. Durante a sua vida com a gente, eles transmitem informações para dimensões maiores, servindo como radares e transmissores. Além disso, são como transformadores de energia que ajudam na cicatrização, desempenhando um papel similar ao dos cristais. Os gatinhos são mestres, eles nos ensinam a amar. Um amor livre, não submisso, respeitador para com as diferenças. Assim, muitas pessoas têm dificuldade em viver com os gatos. Primeiro você tem que ganhar a confiança dele. Então você tem que aprender a respeitá-lo. Ele vai demonstrar afeto quando realmente estiver pronto, e não quando você mandar. Os gatos refletem amor.

Do ponto de vista energético, as pessoas que são alérgicas a gatos são as pessoas que têm dificuldade para deixar o amor entrar em suas vidas. De acordo com Caroline Connor, se há muitas pessoas na família e apenas um gato, este pode ser sobrecarregado absorvendo toda a negatividade. É bom ter mais de um gato para dividir a carga entre eles, especialmente nesses casos.

Se você não tem um gato, e de repente você recebe um em sua vida é porque você precisa de um gatinho em um momento específico. O gatinho está querendo te ajudar. Se você não pode acomodá-lo, é importante encontrar uma casa. O gatinho veio a você por algum motivo que você não consegue entender fisicamente, mas você pode descobrir através de sonhos. Muitas vezes, o gatinho aparece, faz o trabalho e vai embora. 
Fique atento para como os gatos reagem a visitas em sua casa. Muitas vezes eles estão tentando proteger-se de um campo de energia negativa ou pesada.

Fonte: GATOMIA Magazine

Blogueira, Revisora, Escritora, Vegana.
Formanda em Publicidade e Propaganda -  
Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos
Páginas no facebook

domingo, 1 de janeiro de 2017

Conspiração Espiritual: Uma Invasão Silenciosa

Conspiração Espiritual: Uma Invasão Silenciosa
Na superfície da Terra exatamente agora há guerra e violência e tudo parece negro.
Mas, simultaneamente, algo silencioso, calmo e oculto está acontecendo e certas pessoas estão sendo chamadas por uma Luz mais elevada. Uma revolução silenciosa está se instalando de dentro para fora. De baixo para cima.
É uma operação global.
Uma conspiração espiritual.
Há células dessa operação em cada nação do planeta.
Vocês não vão nos assistir na TV.
Nem ler sobre nós nos jornais.
Nem ouvir nossas palavras nos rádios.
Não buscamos a glória.
Não usamos uniformes.
Nós chegamos em diversas formas e tamanhos diferentes.
Temos costumes e cores diferentes.
A maioria trabalha anonimamente.
Silenciosamente trabalhamos fora de cena, em cada cultura do mundo.
Nas grandes e pequenas cidades, em suas montanhas e vales.
Nas fazendas, vilas, tribos e ilhas remotas.
Você talvez cruze conosco nas ruas. E nem perceba...
Seguimos disfarçados.
Ficamos atrás da cena.
E não nos importamos com quem ganha os louros do resultado, e sim, que se realize o trabalho.
De vez em quando nos encontramos pelas ruas.
Trocamos olhares de reconhecimento e seguimos nosso caminho.
Durante o dia muitos se disfarçam em seus empregos normais.
Mas à noite, por trás de nossas aparências, o verdadeiro trabalho se inicia.
Alguns nos chamam de "O Exército da Consciência".
Lentamente estamos construindo um novo mundo, com o poder de nossos corações e mentes.
Seguimos com alegria e paixão.
Nossas ordens nos chegam da Inteligência Espiritual e Central.
Estamos jogando bombas suaves de amor sem que ninguém note: poemas, abraços, músicas, fotos, filmes, palavras carinhosas, meditações e preces, danças, ativismo social, sites, blogs, atos de bondade...
Expressamo-nos de uma forma única e pessoal, com nossos talentos e dons.
Sendo a mudança que queremos ver no mundo.
Essa é a força que move nossos corações.
Sabemos que essa é a única forma de conseguir realizar a transformação.
Sabemos que no silêncio e humildade temos o poder de todos os oceanos juntos.
Nosso trabalho é lento e meticuloso.
Como na formação das montanhas.
O amor será a religião do século 21.
Sem pré-requisitos de grau de educação.
Sem requisitar um conhecimento excepcional para sua compreensão.
Porque nasce da inteligência do coração,
escondida pela eternidade no pulso evolucionário de todo ser humano.
Seja a mudança que quer ver acontecer no mundo.
Ninguém pode fazer esse trabalho por você.
Nós estamos recrutando.
Talvez você se junte a nós ou talvez já tenha se unido.
Todos são bem-vindos.
A porta está aberta.
(autor desconhecido)

Dizy Ayala

Blogueira, Revisora, Escritora, Vegana.
Formanda em Publicidade e Propaganda -  
Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos
Páginas no facebook
Uma Escolha pela Vida
Ação pelos Direitos dos Animais  
dizyayala@gmail.com


sábado, 31 de dezembro de 2016

AMA - Abandonar, Manter e Adquirir -As três atitudes fundamentais da vida.


AMA - Abandonar, Manter e Adquirir 

-As três atitudes fundamentais da vida.


Abandonar, manter e adquirir são atitudes fundamentais que todos nós precisamos praticar na vida.
ABANDONAR tudo aquilo que não condiz com nosso caráter, sentido de vida, objetivos e metas. Tudo aquilo que não agrega, te distrai e afasta da direção que decidiu dar à sua vida deve ser abandonado em favor desta causa maior. Muitas pessoas não chegam onde desejam porque ficam prisioneiras do apego a hábitos, circunstâncias e outras questões. O apego é uma âncora que mantém você preso onde está agora.
MANTER tudo aquilo que agrega valor e esta em coerência com o sentido de nossa vida, objetivos e metas. Às vezes você faz algo de grande valor para conduzi-lo para onde quer ir, mas se esquece de tornar isso uma prática constante. Mantenha os esforços pelo tempo necessário para que comecem a aparecer os resultados, e continue mantendo-os para que os resultados possam crescer em quantidade e qualidade.
ADQUIRIR o conhecimento, as habilidades e as atitudes para fortalecer nossas competências para construir o futuro que buscamos. Busque adquirir o que lhe falta para tornar suas forças mais fortes e trabalhe para diminuir suas fraquezas.

Se você praticar os princípios A-M-A (Abandonar, Manter e Adquirir), em sintonia com a sua essência, estará, com toda certeza, cada vez mais próximo de conquistar seus objetivos e realizar seus sonhos.
Pense sobre isto!
Paz e Alegria,
 
Carlos Hilsdorf

Dizy Ayala

Blogueira, Revisora, Escritora, Vegana.
Formanda em Publicidade e Propaganda -  
Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos
Páginas no facebook

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Depoimentos sobre o Livro Uma Escolha pela Vida




















Sou profundamente grata pela oportunidade de compartilhar a obra que fez parte do meu próprio aprendizado com tantas pessoas especiais,  que me aproximaram de outras tantas com o mesmo sentimento e compromisso de compaixão, evolução e respeito pelo planeta e todos os seres que o dividem conosco, humanos e não-humanos. 
Somos Uno no amor incondicional! <3<3<3

A seguir você vai conferir ricos e diferentes perfis de pessoas que, através de seus depoimentos, trazem importantes e enriquecedores pontos de análise e reflexão. 
Grata pelas gentis palavras e trajetórias que me servem de inspiração.

Um livro para 2017 ser melhor!
Mariele Anger
Lançado na 61a edição da feira do Livro de Porto Alegre/RS, 'Uma Escolha pela Vida - A importância de Nossas Escolha Diárias de Consumo' é uma produção independente da porto-alegrense Dizy Ayala. É barato, pequeno e cheio de bons argumentos! Quem tiver interesse, é possível adquirir para outras cidades e estados na descrição do link ao final desta postagem. Para escolhas conscientes é preciso informação! 
(atualizado a partir da postagem original em 2016).

Mariele Anger é sócia na empresa Vert – Cozinha Vegana, promove e participa de vários eventos em prol da alimentação saudável e proteção animal, como por exemplo, a ONG Cavalo de Lata. Adquiriu o exemplar no Vê – Empório e Restaurante Vegano.


Mila Majerkowski
Uma Escolha pela Vida é uma obra de leitura super acessível, um livro maravilhoso que contém todas as informações necessárias para quem ainda não se tornou vegetariano ou vegano, acrescentando ideias e sugestões àqueles que já são! Sou proprietária da hamburgueria vegana B Burger, que oferece o livro à venda, e me sinto muito gratificada quando vendemos um exemplar, pois não fica apenas nas palavras, partindo para uma aplicação concreta, de um dos valores ensinados na obra: a compaixãoPessoalmente, considero a página 68 uma das melhores porque amo sorvete e agora já não preciso ficar sem, graças a uma receita incrível que a Dizy compartilha com seus leitores!

Israel Valentino
Sou autônomo, cristão, praticante de musculação e artes marciais, e vegano a cerca de quatro anos. Comprei o livro Uma Escolha pela Vida na loja Tchê Vegano, em Caxias do Sul, e fiquei encantado com o seu conteúdo didático. Indicado não somente aos vegetarianos e veganos, mas a todas as pessoas que possuem compaixão pelos animais. Ele esclarece e ensina muitas coisas que poucos sabem sobre a realidade da indústria que os explora. Quem realmente tem compaixão e ainda não é adepto do vegetarianismo ou veganismo, ao ler o livro, certamente vai rever seus conceitos e optar por não consumir nada de origem animal, seja na alimentação, no vestuário e nos materiais de higiene e limpeza. Go Vegan.


Gisele Souza da Silva
Dona de casa e estudante (última fase em Gestão de Recursos Humanos), amo assistir desenho.
Me identifico muito com a frase da página 11 que diz "Não sei em que momento me deram um animal morto para comer, mas sei exatamente o momento que decidi parar e fiz Uma Escolha pela Vida." A minha ficha caiu e alguma coisa se acendeu dentro de mim. Sei que ainda tenho um longo caminho pela frente e que estou muito longe do certo, mas acredito que a vida que mais ganhou foi a minha.

Claudia Correa com a autora
O livro é muito rico em informações, amei as receitas e dicas. Fiquei muito honrada em recebê-lo de presente e me sinto muito feliz em poder compartilhar essa alegria. 
O meu maior desejo é que essa luz acenda dentro de todos <3  Muito obrigada Dizy e Claudinha <3.



     Rodrigo Bragaglia
Recomendo a obra porque estando em pleno século XXI, é inadmissível seguir com hábitos antiéticos, que prejudicam o meio ambiente, promovem matança em massa de animais inocentes e fazem tão mal para a própria saúde humana. Na era da internet e da informação, não há mais desculpas para não se saber o que acontece por detrás das paredes de matadouros, laboratórios e tantos outros locais que promovem tortura e assassinato de inúmeras especies. Em 2004, comecei a me questionar sobre o uso de animais na alimentação e resolvi buscar na internet informações sobre o tema. Desde a primeira busca, percebi que esse hábito não condizia com a pessoa que eu era. Desde então não consumi mais animais. Sou fundador do primeiro fast-food vegano do Brasil, o B Burger, com o propósito de popularizar esse estilo de vida. Sou fotógrafo há 10 anos e com meus trabalhos busco trazer reflexões sobre direitos de grupos oprimidos, através da arte. Mudanças de hábitos são mais que necessárias para o bem do planeta inteiro e o melhor de tudo é que elas são mais fáceis e prazerosas do que pode parecer.


Marcia Eugenia Puerari
Em uma etapa da minha vida, não sei ao certo quando e nem porque, aquele gostar de animais passou a ser intenso a ponto de sentir, emocionalmente, a dor, a angústia, o abandono, o terror, que ficava evidente no olhar de cada animal abusado cruelmente pelo ser “dito” humano. Passei a me dedicar aos animais de rua resgatando, tratando e encontrando um lar que os tratasse com dignidade. Ao mesmo tempo, comecei a perceber que isso não se limitava a animais domésticos e que a coisa era mais ampla, mais difícil, mais doída. Então, eu que já tinha um lado vegetariano “pela metade”, passei a ter um interesse maior em saber como e a que preço, por exemplo, o alimento chega na mesa e, a partir disso, me tornando uma quase vegana. Alimentos, roupas, calçados, entretenimento, experimentos, etc. Uma infinidade de situações onde as pessoas ignoram o sofrimento que cada animal passa nestas práticas rudimentares, para alimentar futilidades de pessoas cada vez mais vazias. Então, minha amiga Dizy Ayala publica  o livro Uma Escolha pela Vida onde informa, de forma simples, educativa e abrangente as piores situações que os animais passam para que o homem, na sua ignorância, possa ter um esclarecimento e cosmoética mais amplo. Este é um livro de cabeceira para nos lembrar que, em várias situações, nós ignoramos seus lares, seus sentimentos, suas necessidades, só para que possamos satisfazer nossas necessidades egoístas. Quando tiver a escolha, escolha compaixão por todas as criaturas vivas.
Gosto muito desta citação e fiz dela meu slogan: “Não tento explicar as pessoas porque amo animais. Para os que compreendem, nenhuma explicação é necessária! Para os que não compreendem, nenhuma explicação é possível...”.
Meu nome é Márcia Eugênia Puerari, tenho formação acadêmica em Direito e sou uma eterna apaixonada por animais.

   Lucas Bernardino
O acolhedor e ao mesmo tempo inquietante livro Uma Escolha pela Vida, leva-nos a refletir a respeito da vida que vivemos, seus reflexos negativos e o que pode ser positivo nas ações do ser humano com relação à Terra. Propicia ao leitor provocações no que tange o uso consciente dos recursos naturais e da tecnologia, a noção de amor seletivo e de cuidado com o próximo. As pensatas deste livro nos alertam a posição na qual estamos, não supostamente no topo de uma pirâmide, mas sim como parte de um todo, de um grande círculo que, como tal, não devemos ficar alheios. Ter visão de alteridade e perceber o que acontece não somente conosco, como também com o ambiente, a natureza e suas infinitas formas de vida. Parafraseando o grande escritor e médico mineiro Guimarães Rosa que dizia que só aos poucos é que o escuro é claro, digo que o movimento do veg(etari)anismo nos mostra a claridade da vida. É a luz em meio às escuridões da morte, dos abates, da carne no prato, da ignorância e do egoísmo. Sejamos cada vez mais eco num mundo ego e optemos sempre por escolhas que defendam a vida. "O homem tem de poder escolher a vida em todas as circunstâncias”.   Jean-Paul Sartre


Mônica Carpes
Ter um momento reflexivo sobre nossas práticas de consumo e, a partir disso, conscientizar sobre as reais possibilidades de promover mudanças sustentáveis, é algo valioso. O livro consegue de forma objetiva e de fácil compreensão atingir uma visão ampliada da teoria à prática. Uma Escolha pela Vida é um daqueles livros que indico para os amigos que desejam compreender desde a importância da causa animal até o consumo de produtos que geram menos danos à saúde e nutrem o físico e a alma. Como vegana, recomendo a leitura e a abertura para um mundo livre de crueldade e exploração animal! 
Dizy, parabéns pela iniciativa e pelo ato de compaixão aos animais!
Com formação acadêmica em Psicologia, após 07 anos de atuação em RH e Coach Executivo, dei início a novas vivências, com cursos em terapias alternativas tais como: Reiki, Yoga, Práticas de Meditação, Alimentação Sustentável e Ayurveda. Através destes conhecimentos construi práticas mais sustentáveis e em harmonia com a natureza, desenvolvendo receitas sem ingredientes de origem animal, reduzindo os químicos, conservantes e industrializados. Atualmente, sou proprietária da empresa VegAmor de alimentos veganos e saudáveis.

Daniel Ancelmo
Apesar de curta, rápida e objetiva Uma Escolha pela Vida é uma obra magnífica. Consegue definir, demonstrar e vivenciar o veganismo em sua essência, convidando-nos a considerar esse estilo de vida pacífico, harmônico e consciente para melhores relações com as outras especies e o próprio planeta. Não bastasse isso, a obra navega pelos mitos e fatos da alimentação contemporânea, muito industrializada. São também apresentados os vegetais e seus nutrientes benéficos, alimentos caseiros e seus mais variados e deliciosos ingredientes.
Visando "A Importância de Nossas Escolhas Diárias de Consumo", tal obra consegue abordar com tamanha eficiência o que foi proposto, explorando os mais diversos meios e conhecimentos, fornecendo uma incrível bagagem informacional, educacional e conscientizadora.
Sou acadêmico de Filosofia na UFRGS e tenho lido muitos artigos sobre libertação animal e meio ambiente. Em meados de maio de 2015, vi uma palestra do Gary Yourofsky e, em passagens rápidas, documentários como Terráqueos e A Carne é Fraca, interessado em saber o porque do vegetarianismo adotado por pessoas próximas e que suscitou meu interesse.

Jania Picon Alt
      Uma Escolha pela Vida é um livro que, mesmo tratando de assunto complexo, pela redação da autora, nos leva com sutileza, sabedoria e carinho a uma reflexão sobre como fazermos a diferença. Com compaixão, amor e respeito pelas pessoas, pelo planeta e pelos animais, precisamos ser e fazer a diferença para um mundo melhorObrigada Dizy Ayala!  O teu livro me inspira a ser uma pessoa melhor.
Sou vegetariana há dez anos, hoje vegana, por amor aos animais, protetora e ativista da causa animal. Mantenho um projeto, Sobrevivendo, onde recolho, acolho e cuido animais em vulnerabilidade.

Alexandre Terreri
Gostaria de dar uma dica para quem quer dar um presente que, além de interessante, seja útil para quem o recebe e para o mundo... trata-se do livro Uma Escolha pela Vida - A Importância de Nossas Escolhas Diárias de Consumo, de autoria de Dizy AyalaEm linguagem simples, direta e acessível a todos, mostra ao leitor como ele pode, a partir de escolhas simples e conscientes, tornar o mundo melhor para todos, humanos e animais não-humanos, optando pelo Veganismo! 
Li e recomendo!
Sou formado em Medicina Veterninária/FMU, em exercício da profissão, já tendo tido atuação em várias instituições, inclusive no Santuário Rancho dos Gnomos. Atualmente, sou articulador do Partido Animais.

Jeh Werberich
Na minha opinião, está entre os melhores livros que li até o momento, pois possui informações valiosas para quem quer se tornar vegetariano ou vegano. Tenho contato com o vegetarianismo desde que nasci, uma vez que minha família é adepta desse regime, o qual está de acordo com minhas convicções pessoais. Sou acadêmico em Administração. Um leitor assíduo de variados temas, amo a natureza e os animais.


Liz TC








































Aline Trein




Meu nome é Aline Trein e recentemente me tonei vegana. 
Eu sempre comi carne porque fui ensinada desde pequena de que era "bom pra saúde". Assim passei vários anos da minha vida achando tudo isso muito normal. 

Em 2015, eu acordei! Preparei meu almoço pra levar pro trabalho, e na hora de comer a carne, eu simplesmente não consegui. Me dava náusea. Fiquei 21 dias sem comer carne, mas depois tive vontade de comer de novo, e voltei a comer, porém não tanto como antes. Fui diminuindo a carne aos poucos, e quando me dei por conta "só" comia aos finais de semana. Então decidi me tornar vegetariana, porém nesse mesmo tempo descobri a anemia. E a recomendação do médico foi de, entre outras coisas, ingerir carne. Depois de resolvido o problema da anemia, voltei com a ideia do vegetarianismo porque ao meu ver já era o suficiente, afinal de contas as galinhas não morriam por colocar ovos, e nem as vacas por dar leite. Infelizmente, eu só conseguia ver a carne como problema. Achava que veganismo era muito radical.

Porém, um certo dia, me veio um interesse em saber como era realmente o veganismo. Comecei a pesquisar e fiquei horrorizada com tudo que descobri sobre testes em animais, com a exploração dos animais de circo, zoológico, galinhas poedeiras... Fiquei chocada!!
Então comecei minhas pesquisas sobre produtos que não testavam em animais, eu estava meio perdida. Em uma dessas pesquisas, dei de cara com a propaganda do livro Uma Escolha pela Vida, e na hora pensei: "Esse livro pode me ajudar".
Na mesma hora cliquei e comprei!! Fiquei naquela ansiedade até o livro chegar, em menos de uma semana estava com ele em mãos. 

Comecei a ler, e em alguns momentos é impossível não se emocionar. 
O livro UMA ESCOLHA PELA VIDA, abriu um novo mundo pra mim!!!
Tem uma abordagem simples e direta!
Me mostrou que não é difícil ser vegano, pois temos várias escolhas livres de crueldade ao alcance das mãos. Basta querermos!
Gostei tanto do livro, que comprei um pra minha irmã e emprestei o meu pra um colega do trabalho, onde trabalho como secretária, no atendimento e administração de uma funerária.

Parabéns pelo trabalho lindo Dizy!!
Por um mundo vegano
Abraço
#govegan



Gratidão pela querida parceria com a JMA - J'adore Mes Amis na distribuição do livro para venda em seus eventos mais do que especiais. 

Grata pela recente e promissora parceria com a estimada Aloha Vegan Fest na venda do livro Uma Escolha pela Vida.


Saiba mais sobre o livro Uma Escolha pela Vida 
e faça você também um consumo consciente 
com maior qualidade de vida, respeito ao meio ambiente 
e as outras espécies que o dividem conosco.

Adquira já o seu! Acesse




Dizy Ayala

Blogueira, Revisora, Escritora, Vegana.
Formanda em Publicidade e Propaganda -  
Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos
Páginas no facebook
Uma Escolha pela Vida
Ação pelos Direitos dos Animais  
dizyayala@gmail.com